.

.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Novas regras poderão alavancar a criação de abelhas sem ferrão

Os criadores de abelhas sem ferrão de todo o Brasil estão mais próximos de verem como realidade a regularização de suas atividades. Em resposta às demandas de criadores e cientistas, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) do Ministério do Meio Ambiente, realizou uma reunião no fim de abril/2017 em Brasília, onde decidiu pela revisão da Resolução que regulamenta a atividade. Entre as mudanças propostas está a unificação e simplificação dos procedimentos de registro e operação dos meliponicultores em território nacional.


                                 Fonte: Fábia Pereira/Embrapa Meio-Norte


O pesquisador Cristiano Menezes, da Embrapa Amazônia Oriental, foi um dos propositores das mudanças e esteve em Brasília como um dos convidados do Conama, para a revisão da Resolução nº 346 de 16 de agosto de 2004, que até então regulava a criação dessas abelhas.

Segundo Cristiano Menezes, a nova resolução vai estimular a legalidade dos criadores. O cientista estima que existam mais 100 mil criadores no Brasil e por conta da burocracia da antiga resolução, era praticamente impossível o registro e a regularização. “As regras eram as mesmas para a criação de animais silvestres, com inscrição nacional junto ao Ibama e isso impedia a legalização dos Meliponicultores. Para se ter uma ideia, apenas 11 criadores haviam se cadastrado em todo Brasil”, comenta.

O Conama acatou as propostas feitas por criadores e cientistas e decidiu que a implantação de meliponários, que são coleções de colmeias de abelhas sem ferrão, assim como a utilização de abelhas silvestres nativas sem ferrão, serão regidas por uma nova resolução, que será promulgada nos próximos meses.

Em nota publicada pela Conama, os pontos de consenso para aperfeiçoamento da resolução foram:
1. A unificação e simplificação dos procedimentos de registro e operação dos meliponicultores brasileiros;

2. A proibição de transporte de abelhas nativas fora de sua área de distribuição original; e

3. O congelamento da criação de abelhas nativas fora de sua área de ocorrência original.

O Dr. Cristiano Menezes prevê que estas novas regras irão auxiliar a retirar da clandestinidade milhares de criadores, fortalecendo uma cadeia que tem crescido e se estruturado cada vez mais. “Na legalidade, os meliponicultores terão todos os direitos garantidos, com isso, facilitando acesso a crédito e aos selos para comercialização de seus produtos”, afirma. Ele enfatiza ainda que com desburocratização, haverá dados sobre o número de criadores no país, quais as principais espécies criadas e assim, haverá mais subsídios para direcionar mais assertivamente as pesquisas.






terça-feira, 11 de abril de 2017

Soro contra veneno de abelha é testado em humanos

A primeira fase de testes do soro para ser usado em casos de acidentes abelhas, chamado de soro antiapílico, busca alcançar 20 pacientes para avaliar a seguridade do soro. Em março de 2017 este estudo chegou à metade, com a aplicação do soro no décimo paciente picado pelos insetos.

Google Imagens

As pesquisas vinham sendo feitas há 4 anos, com parcerias entre o Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Cevap/Unesp) e o Instituto Vital Brasil.
Em 2013, liderado pela Faculdade de Medicina da Unesp e por sua Unidade de Pesquisa Clínica (Upeclin), o Estudo APIS foi entregue para análise das instâncias regulatórias no Brasil, o sistema CEP-Conep (Comitês de Ética em Pesquisa e Conselho Nacional de Saúde) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
Também participam da pesquisa duas importantes instituições de ensino e pesquisa no Brasil: Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM – Uberaba/MG) e Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul – Tubarão/SC).



segunda-feira, 20 de março de 2017

GPAP REALIZA SEU ANUAL CICLO DE SEMINÁRIOS COM SUCESSO

O Grupo de Pesquisa com Abelhas e Polinização (GPAP), realizou entre os dias 08 e 09 de Março o IV Ciclo de Seminários sobre Abelhas e Polinização que trouxe nesse ano o tema, “Manejo de colmeias”.
O evento teve como objetivos:

1.Discutir inovações relacionadas às técnicas de manejos desenvolvidas para apicultura e meliponicultura no semiárido;


2. Expor o conhecimento existente acerca do tema e suas aplicações na produtividade;

3. Contribuir para o engrandecimento técnico da apicultura no Estado do Ceará;

4. Promover intercâmbio entre estudantes da UVA e de outras instituições sejam do mesmo curso ou de cursos diferentes;

5. Treinar os estudantes do Grupo de Pesquisas com Abelhas e Polinização (GPAP) na prática de apresentar palestras;

6. Proporcionar contatos entre estudantes de graduação e pós-graduação, bem como entre profissionais ligados às cadeias produtivas da apicultura. 


 O evento contou com a participação de 60 pessoas, incluindo secretários municipais, apicultores e técnicos da região (Alcântaras, Catunda, Forquilha, Graça, Groaíras, Itarema, Massapê, Meruoca, Morrinhos, Santana do Acaraú e Sobral), estudantes das IES de Sobral e professores pesquisadores do assunto.

Assim como no ano passado, neste ano tivemos palestrantes graduandos, mestrandos e doutorandos, bem como professores d
a UVA (Dr. José Everton Alves), da UFC (Dr. Breno Magalhães Freitas), do IFCE (Jorge Alberto Bezerra Fernandes) e das faculdades INTA (Fernando Aguiar). Merece destaque a participação do professor da UFC, Dr. Breno Magalhães Freitas.

A solenidade teve como Coordenador o Prof. Dr. José Everton Alves, sendo organizado pelo graduando Paulo Michael Sousa Rodrigues (Presidente do GPAP) e uma comissão organizadora com integrantes do GPAP. O mesmo contou com o apoio do Instituto de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Estadual Vale do Acaraú (IADE/UVA), da Pró-Reitoria de Extensão da UVA (PROEX-UVA) e da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UVA (PRPPG-UVA), da M&E consultoria e da EMATERCE.

A realização do evento só foi possível com os patrocinadores, Casarão do Espetinho (Adm. Jorge), Padaria Piray, Chapéu BOM, ACERTE gráfica e VM cópias e carimbos.


                                                Prof. Dr. Breno Magalhães Freitas - UFC
                           Manejo de colmeias para programas de polinização de culturas agrícolas



                                      Paulo Michael Sousa Rodrigues - Graduando em Zootecnia/UVA
                                            Manejo produtivo de rainhas de abelhas africanizadas



                                     Francisco Felipe Monteiro Farias - Graduando em Zootecnia/UVA
                       Manejo de colônias de abelhas africanizadas para a produção de pólen apícola




                                          B.Sc. João Paulo de Oliveira Muniz - Mestrando/UFC
                         Manejo para divisão de enxames de abelhas africanizadas visando a produção de                                                   novas colônias 


                                         Marcela Sheila Araújo Xavier - Graduando em Zootecnia/UVA
                    Manejo de colônias de abelhas para a produção otimizada de própolis com qualidade


                                           B.Sc. Antônio Edneudo Ponte - Presidente CONSULTEC
                        Como manejar colônias de abelhas africanizadas para otimizar a produção de mel



                                         M.Sc. Jorge Alberto Bezerra Fernandes - Professor do IFCE
                        Alimentação artificial no período de estiagem em apiários no Nordeste brasileiro



                                                    M.Sc. Jânio Ângelo Félix - Doutorando/UFC
                                      Técnicas de manejo de colônias de abelhas sem ferrão


                                                            Prof. Dr. José Everton Alves - UVA
                       Técnicas de manejo de colônias de abelhas africanizadas viando a produção de                                                       apitoxina (veneno das abelhas)





domingo, 5 de fevereiro de 2017

Reativação do GPAP para o ano de 2017

No dia 12 (quarta-feira), nesse mês de Janeiro, foi realizada uma reunião com o professor orientador, Dr. José Everton, integrantes e interessados do Grupo de Pesquisa com Abelhas e Polinização como a finalidade de reativação do grupo para esse ano de 2017.




Na mesma reunião foi votado novos ocupadores dos cargos de presidente, vice-presidente, e administradores das mídias: Blogapi, Fanpage oficial do grupo, Jornapis. Também foi elucidado e decido as atividades previstas para serem desenvolvidas no primeiro semestre do ano, tais como trabalhos no Apiário da FAEX, projetos de novas pesquisas e o IV Ciclo de Seminários Sobre Abelhas e Polinização.

Segue os nomes dos responsáveis e seus respectivos cargos decididos na reunião com a concordância de todos:
Paulo Michael Sousa Rodrigues – Presidente
Felipe Barroso de Sousa – Vice-Presidente
Maiara Sales de Matos – Atualização e Edição do Blogapi e Fanpage oficial
Francisco Felipe Monteiro Farias – Atualização e Edição do Blogapi e Fanpage oficial
José Etelvino dos Santos Vale – Edição Jornapis

Lembrando que todos esses cargos não visam privilégios e só funcionarão com a colaboração dos demais, pois independente de cargos, todos possuem o mesmo intuito que o crescimento do grupo e a excelência na formação acadêmica e profissional. 

O Grupo com Abelhas e Polinização esperar alcançar novos resultados neste ano que inicia, resultados que poderão impactar e melhorar a apicultura e meliponicultura regional e nacional. Desenvolver inovações para elevar mais ainda o setor.